As Principais Tendências Para Logística

A pandemia do novo coronavírus afetou diversos segmentos de mercado, alguns positivamente, enquanto outros foram prejudicados. O mesmo aconteceu com o mercado de logística, trazendo algumas tendências.

Para ter noção da dimensão do problema, 94% das 1.000 principais empresas dos EUA classificadas por receita pela Revista Fortune tiveram fornecedores afetados pelo vírus.

Esse cenário alterou diversos processos dentro das organizações, criando novos hábitos e demandas.

No post de hoje nós vamos te contar quais são as principais tendências para logística nos próximos anos e como a COVID-19 influenciou essas mudanças. Continue a leitura e confira.

 

Quais as tendências para logística e a influência da pandemia para o mercado?

As medidas restritivas que foram tomadas para limitar a propagação da COVID-19, afetou bastante as regiões centrais da cadeia de abastecimento global e causou impactos significativos na logística.

Para algumas empresas foi um grande desafio manter as operações, cumprir obrigações contratuais, garantir a segurança dos colaboradores, gerenciar inventários e atender as necessidades dos clientes.

No entanto, com a retomada gradual das atividades e flexibilização das medidas restritivas já é possível perceber o surgimento de algumas tendências para logística. Veja quais são abaixo:

 

1.      Descentralização dos centros produtores

A pandemia serviu para alertar das vulnerabilidades causadas pela dependência de poucos fornecedores de produtos, como é o caso da China.

Desse modo, a tendência para logística é que as empresas procurem fornecedores alternativos, descentralizando as cadeias de suprimentos e tornando-as menores e mais eficazes.

 

2.      Integração entre fornecedores e empresas

As empresas com maior visibilidade na cadeia de suprimentos responderam melhor à crise, porque com isso puderam identificar com maior agilidade onde estavam as dificuldades, possibilitando fazer correções com mais rapidez.

Ter um bom relacionamento com os fornecedores é fundamental para que isso aconteça.

 

3.      Compartilhamento de transporte como tendência para logística

A cooperação entre empresas concorrentes no compartilhamento de transporte é uma das fortes tendências para logística.

Isso porque os custos dessa forma são reduzidos, além de ser possível trocar experiências e conhecimentos que promovem o desenvolvimento de todos.

 

4.      Automação dos processos de logística

Muitos negócios tiveram dificuldades na cadeia de suprimentos devido ao gerenciamento manual dos estoques. Com um processo de controle e gestão automatizado, muitos problemas podem ser evitados.

Graças ao uso de recursos tecnológicos, é possível prever ameaças e oportunidades, gerenciando assim todos os processos com maior precisão.

 

5.      Uso de drones

Com o decorrer da crise gerada pelo coronavírus e devido ao isolamento social, um dos equipamentos que acabaram sendo bastante utilizados para evitar contato físico durante o transporte de produtos foram os drones.

Os drones são a nova aposta para otimização de logística, independentemente se as entregas são para clientes pessoas físicas (B2B) ou entre empresas (B2B).

 Pudemos ver a aplicação desse equipamento no transporte de insumos hospitalares e entregas delivery. O uso desse recurso reduz custos e pode ser utilizado em diversas outras áreas e para diferentes finalidades.

 

Quais são as melhores práticas indispensáveis às empresas logística?

Agora que você já viu quais são as tendências para logística, confira abaixo quais são as melhores práticas que devem ser adotadas para otimizar e melhorar os processos do setor.

 

Monitoramento de transportes:

O monitoramento é fundamental para verificar que as rotas traçadas estão sendo cumpridas. Além disso, permite identificar ocorrências em tempo real, possibilitando ações imediatas para normalização do problema.

 Outro benefício de implementar uma política de monitoramento é disponibilizar para os clientes o status do transporte. Isso também gera um diferencial competitivo.

 

 Acompanhar os indicadores de desempenho:

Avaliar o desempenho da operação é fundamental em qualquer segmento. Com isso é possível identificar pontos de melhoria, tais como índices de avarias e extravios, por exemplo.

 

Gerenciamento de riscos:

Um gerenciamento eficaz dos riscos é a base para a otimização das operações logísticas. Esse processo evita custos por acidentes, furtos e perdas de cargas causados ​​por diversos fatores.

 

Adote checklists:

Para logísticas em grande escala o uso de checklists é bastante eficaz. Através dessas listas de tarefas é possível ter maior controle sobre todas as etapas da operação.

 

Previsão de demanda:

Não tem como falar em gerenciamento de empresas de logística sem mencionar a previsão da demanda. Essa tarefa é indispensável para manter o estoque sempre abastecido e evitar atrasos nas entregas. 

 

Setor de logística reversa:

É importante definir regras para a troca e devolução de produtos, principalmente quando falamos de e-commerce.

É ideal que esse processo ocorra com agilidade, caso contrário isso pode afetar a reputação da empresa. Portanto, crie um setor de logística reversa que cuidará apenas dessas situações.

 

Considerações finais

Como você pôde ver a pandemia do novo coronavírus afetou o setor logístico trazendo novas tendências.

A necessidade urgente de adaptar todas as operações e processos a essa nova situação pode ter causado aflição para muitas empresas inicialmente.

No entanto, não podemos discordar que isso trouxe uma renovação significativa para o setor.

Para a construção deste processo de resposta rápida as novas demandas são necessários dois elementos essenciais, tecnologia e pessoas.

A Deltacooper é uma cooperativa especializada no mercado de logística com atuação nacional. Precisa de profissionais? Entre em contato conosco e conheça os diferenciais de custo e agilidade.

 

 

 




Deltacooper

Fundada em 13 de setembro de 2000, a Deltacooper está entre as mais conceituadas cooperativas de trabalho para o setor de logística e transporte.


Saiba mais