Custos Logísticos – Conheça os 10 principais e Saiba Como Reduzir

 

Os custos logísticos são um aspecto financeiro bastante relevante para os negócios.

Para se ter noção da importância, um estudo realizado pela Fundação Dom Cabral mostra que as companhias gastam, em média, 12,37% do seu faturamento bruto com custos logísticos no Brasil.

Por isso, é preciso uma gestão financeira eficaz para que esses custos não prejudiquem o desenvolvimento da empresa.

Pensando nisso, resolvemos trazer esse assunto aqui para o blog e te contar quais são as formas de reduzir esses gastos. Continue a leitura e confira.

 

Qual é o conceito básico de custo logístico?

Os custos logísticos são todos aqueles que envolvem a logística de uma empresa. Podemos citar como exemplo os gastos com armazenamento, custos com processamento de encomendas e transporte. Saiba mais abaixo.

 

Quais são os principais custos logísticos?

Uma empresa certamente possui inúmeros custos logísticos. No entanto, existem alguns principais e que são comuns a maioria delas. Conheça a seguir:

 

 1.       Transporte:

Esse item pode representar uma alta porcentagem dos custos logísticos e impactar, consideravelmente, o preço final do produto. Tudo deve ser levado em consideração nesse quesito como pedágios, combustível, seguro e manutenção do veículo, por exemplo.

 

 2.       Distribuição:

Os custos logísticos que envolvem distribuição estão relacionados com todo o processo de recebimento e separação do produto até o encaminhamento deles para o destino.

 

3.       Embalagem

Os custos de embalagem também merecem atenção, eles representam em torno de 20% e 30% do custo total do produto, mas em alguns casos pode chegar a até 80%.

 

4.       Armazenagem

A armazenagem gera diversos custos, tais como: aluguel, depreciação de instalações e equipamentos de movimentação.

 

5.       Perdas

Esse é um custo evitável, portanto, o gerenciamento do estoque deve ser eficaz a fim de prevenir esse gasto desnecessário. Os pontos de atenção nesse caso são: validade, refrigeração, contaminação e armazenamento incorreto.

 

6.       Tributos

Todo empreendedor brasileiro sabe que os custos logísticos com tributos são pesados. Podemos citar o ICMS e o IPI, por exemplo. 

 

7.       Fornecedores

Os custos com fornecedores impactam diretamente no valor final do produto. E isso pode afetar a competitividade da empresa positiva ou negativamente.

 

 8.       Custo de falta de produto

Esse custo logístico também é conhecido como ruptura. Acontece quando você não dispõe do produto para que o cliente possa comprar. Isso além de te fazer perder vendas, impactando no faturamento, também causa insatisfação no cliente, prejudicando a imagem da empresa.

 

 9.       Manutenção

Nesse quesito entram todos os custos relacionados à manutenção, seja de máquinas, aparelhos, equipamentos e ferramentas, sejam elas físicas ou não. Tais como veículos, softwares ou computadores, por exemplo.

 

 10.   Recursos humanos

O capital humano é um dos recursos mais valiosos da instituição, além disso, os colaboradores são os responsáveis por produzir e controlar no dia a dia os custos logísticos.

 

Como é composto o custo logístico?

Os custos logísticos são compostos por todos os itens citados no tópico acima e outros gastos relacionados. Ou seja: transporte, distribuição, embalagem, armazenamento, perdas, tributo, fornecedores, ruptura, manutenção e recursos humanos.

 

Como reduzir os custos logísticos?

Diante de tantos gastos é perceptível o impacto que os custos logísticos têm para os negócios. Não é à toa que os reduzir é o objetivo de praticamente todos os gestores.

Entretanto, otimizar essas despesas não é tão simples como parece, exige um gerenciamento e controle eficaz sobre diversos processos e seus responsáveis.

Mas a boa notícia é que existem algumas práticas que podem ser seguidas para diminuir os gastos sem perder qualidade. Descubra abaixo:

 

Melhores práticas de gestão de custos logísticos

·         Implementar um processo de roteirização eficiente:

A roteirização de cargas visa encontrar o melhor trajeto para o transporte, diminuindo assim o percurso e os gastos relacionados. Com um planejamento de rotas eficaz é possível até mesmo melhorar a qualidade dos serviços prestados.

 

·         Fazer manutenções periódicas:

Fazer manutenções preventivas e periódicas é uma excelente maneira de economizar com gastos inesperados (porém previsíveis). Quando você programa essa tarefa consegue fazer cotações para encontrar os melhores preços.

No entanto, quando você deixa para lidar com a situação com o problema já instalado, corre-se o risco de pagar a mais devido à urgência do momento.

Além disso, não podemos deixar de mencionar que as manutenções prolongam a vida útil dos equipamentos e previnem acidentes de trabalho, evitando despesas ainda maiores.

 

·         Automatize processos

Automatizar processos é uma excelente maneira de otimizar o tempo e aumentar a produtividade. Além disso, diminui-se consideravelmente as chances de falhas humanas que geram retrabalho e gastos desnecessários.

 

·         Educação corporativa

O maior erro de alguns gestores é acreditar que os gastos com a capacitação da equipe são desnecessários.

Na verdade, isso é um investimento capaz de trazer inúmeros benefícios, tais como: aumento da produtividade, redução dos custos logísticos, melhora a qualidade dos produtos e serviços e aumenta a satisfação dos colaboradores.

 

 ·         Adotar o modelo de gestão Just In Time

O Just In Time é um método de administração da produção que visa que tudo deve ser produzido, transportado ou comprado no momento certo. Esse modelo pode ser usado por diversas empresas para reduzir estoques e os custos decorrentes.

 

 ·         Monitorar os indicadores de desempenho

O monitoramento dos indicadores de desempenho logístico (KPIs) é uma excelente maneira de reduzir custos.

 Por meio disso é possível identificar gargalos, implementar intervenções e otimizar processos, reduzindo custos.

 Com base nesses relatórios, alterações podem ser feitas com foco em aprimorar os processos e diminuir gastos. Alguns exemplos são:

 

 ·         Custo de transporte em relação ao % de vendas;

  • Acuracidade do inventário
  • Consumo de combustível por km rodado;
  • Sinistros;
  •  Índice de depreciação os veículos;
  • Número de avarias e extravios;
  • Custos das perdas no estoque;
  • Valor de frete por pedido.

 

 ·         Atenção com os gastos desnecessários que envolvem o transporte

Além de escolher a melhor rota, outras medidas podem ser aplicadas para reduzir os custos logísticos.

 Controlar o consumo de combustível é uma delas. É possível fazer isso de diversas maneiras, tais como: Manter os pneus sempre calibrados e cheios, trocar o filtro de ar sempre que necessário, usar combustível de qualidade e não carregar peso excessivo.

 Orientar e monitorar os motoristas quanto ao cumprimento das legislações de trânsito é outro fator fundamental, pois evita multas desnecessárias que podem aumentar significativamente os gastos.

 

Considerações finais

Agora você já conhece os principais custos logísticos e conferiu algumas dicas para reduzi-los, gostaríamos de falar que o custo com contratação e o turnover de pessoas também são relevantes para os resultados da empresa e as cooperativas de trabalho são excelentes alternativas para reduzir o custo em até 60%.

 Confira quais são as principais vantagens de firmar parceria com a Deltacooper Cooperativa especializada no setor logístico e entre em contato conosco para esclarecer todas as suas dúvidas: (11) 2281-8250.

 

 

 




Deltacooper

Fundada em 13 de setembro de 2000, a Deltacooper está entre as mais conceituadas cooperativas de trabalho para o setor de logística e transporte.


Saiba mais